segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A morte...

A morte acontece. Ponto. Não é programada. Ponto. Pode ser serena ou não. Ponto. É o fim de qualquer ser humano. Ponto. Pode ser facilmente aceite ou não. Ponto. Tudo é finito. Ponto. O humano é finito. Ponto.

E agora que terminou o assunto "morte", passemos às saudades.

Tenho saudades tuas. Não há ponto. Sinto-te todos os dias comigo. Não há ponto. Ainda hoje choro por ti. Não há ponto. Foste a mulher mais fantástica que conheci até hoje. Não há ponto. A melhor avó do Mundo. Não há ponto.

Nunca haverá ponto.

8 comentários:

TERESA SANTOS disse...

Conheci-te através da Célia.

Que dizer?

Parafraseando-te: gostei de te conhecer. Ponto.

CF disse...

Concentra-te, essencialmente naquilo em que não consegues colocar o ponto!!!
Os restantes pontos são incontornáveis...:(
bjs grandes
PS: a Teresa é uma mulher sem pontos :))

Carol disse...

obrigada pela partilha das palavras que aqui deixaste... nao ha mesmo ponto*

DeepGirl disse...

TERESA SANTOS,

Prazer :). Ponto. Tudo o que venha da Célia, é magnífico! :p.

DeepGirl disse...

CF,

Tudo se contorna... Pode é não ser da forma que mais desejaríamos :p.

Beijinhos enormes!

P.S.: Ela colocou ali um, mas gostei :p.

DeepGirl disse...

Carol,

:). Chegaste onde queria, não há mesmo :D.

Vicky disse...

Tenho um sentimento idêntico pelos meus avós. Mais um em especial porque foi o primeiro a partir e porque sempre pensámos que fosse o último. Foi assim, ponto. Sem tempo para despedidas. Sem tempo para dizer, Obrigado.

Anónimo disse...

A morte encerra uma fase da vida, no entanto não é um ponto final, é, para quem guarde no coração e na memória aqueles que morreram, apenas umas reticências, um até já , um até sempre...para sempre.
Jinhos e coiso i tal!! :-))


ass: ...