quarta-feira, 5 de maio de 2010

Duro caminho

Estava um dia solarengo, apesar de um vento moderadamente forte e frio se fazer sentir.
A senhora entrou, acompanhada do seu marido. Ele trazia uma mochila sobre os ombros, mas voltada para a frente. Ela vinha com ar esgotado.
Convidámos a ambos sentarem-se.
"É apenas para ela", diz o marido, enquanto se sentava.
"De onde vêem?", perguntei.
"De Gondomar", respondem-me em uníssono.
"Há quantas horas caminham?", pergunta-lhes o Sr. Socorrista.
"Desde de manhã".
Ela sentou-se e esticou as pernas.
Lavaram-se-lhe os pés, secaram-se cuidadosamente.
Enquanto lhe fazia o tratamento das feridas dos pés, olhei para ela. Ela lançou-me um sorriso, que para ela parecia-lhe aliviar a pena que sentia por a ver naquele estado, mas em mim, fez-me chorar por dentro. Ela percebeu. Piscou-me um olho.
Acabei o tratamento, ajudei-a a calçar os chinelos, que já não aguentava as sapatilhas.
Sorriu-me novamente, e disse-me: "Sra. Enfermeira, muito obrigada. Que Deus a ajude como me ajudou a mim, pois nem sabe o bem que me fez".
Levantou-se, lançou um "ai as minhas pernas" quase inaudível, e seguiram viagem, saíndo mais aliviados e agradecendo.
Pensei: "Que Fátima os ajude a lá chegarem", e penso que foi o pensamento geral de todos os voluntários que estavam comigo.

6 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá :)

Por vezes (se não sempre) são as coisas simples da vida que dão sentido e fazem sentido. E com elas robustecem o nosso viver. Ainda que fosse decorrente de uma profissão.

Um beijinho amigo

Marta disse...

Oh até a mim me vieram as lágrimas aos olhos :')
è óptimo sentirmo-nos úteis...
Força e um bom trabalho ;)
Que todos atinjam o objectivo...

Beijinho Sra Enfermeira

Anónimo disse...

Por vezes , tão ou mais duro como é o caminho que faz esses peregrinos chegarem até Fátima , muitos deles para pagarem promessas, é o motivo que os fez pedir ajuda a Nossa Senhora.
O espirito de peregrinação , de sacrificio , por vezes exagerado aó máximo, é algo que , apesar da minha fé, talvez em virtude de eu questionar muitos dogmas religiosos, me custa a perceber . Não percebo, mas respeito.
Parabéns para ti e para todos os voluntários que este ano decidiram ajudar a suavizar as mazelas fisícas dos peregrinos.
Jinhos e coiso i tal!! :-))


ass: caminho da fé

siceramente disse...

txi.. ao que estas pessoas se sujeitam para pagar promessas :S

Melga disse...

Tás no voluntariado na peregrinação?

Um favor...não vou lá no dia treze, quiçá no vinte e qualquer coisa, mas peço-te encarecidamente que rezes por mim, mesmo sem caminhar nos últimos tempos muita gente me quer apertar os calos...
Bjinho e bom trabalho***

CF disse...

Independentemente das razões que levam as pessoas a cumprirem estes sacrificios como promessas, todos aqueles que predispuserem do seu tempo livre para ajudar é algo que merece os parabéns... O alivio da dor da longa caminhada é algo que só os pensos quye fizeste não são suficinetes. Talvez no teu olhar e toque transmitisses algo muito mais intenso para que a pessoas se sentisse tão confortada e acompanhada nesta sua caminhada... sabe-se lá as lutas interiores que não terão levado esta gente a fazer destes sacrificios?
Aprendi a nunca dizer nunca quanto a isto a partir do dia que tenho filhos... Por eles eu faria de tuddo em ultima instância... de tudo mesmo. Tudo é possível qd o amor é tão grande e só a fé pode salvar!
sabemos que nem sempre a medicina tem todas as respostas, não sabemos?
Bjs grandes para ti e parabéns pelo trabalho junto destas pessoas
CF