lundi 16 mars 2009

"Tchaikovsky 1812 overture"

Bem, já que http://ciodeenfermagem.blogspot.com/ lançou o desafio, agora é só dar rumo ao Post :) San'Iago... Podes continuar!





Deito-me cansada de um dia de confusões, risos, tristezas, inoportunismos, acções desmensuradas à minha capacidade de ver a vida.Então, pego no mp3. Já no meio dos lençóis, ligo o dito cujo, e oiço... Tchaikovsky.


De repente, sinto que me esvazio.Não um vazio de valores, ou filosofias de vida (ou até talvez seja mesmo, agora bem questionado), mas um vazio de acumular de pensamentos que me são futéis, ou até mesmo cruéis, com os quais não quero ser assemelhada pela sua possessão.Sinto as entranhas galgar... De emoção.


Sinto que afinal, se me sinto assim, é porque vivo, existo, sorrio e vêm-me sorrir, dizem-me "Obrigado", tocam-me no ombro e aparecem de surpresa, dizendo que já não me viam há algum tempo e por onde tenho andado. Dizem coisas a meu respeito que acredito que lá estejam, mas que muitas vezes não vejo, ou não quero ver, porque tendo a corar. Fico feliz.


Tudo isto, ao som de Tchaikovsky... Bolas!

3 commentaires:

Anonyme a dit…

Este teu post está escrito de uma maneira ''vibrante''. È pleno de emoção na descrição de como o teu corpo e mente reagem à música, neste caso a de Tchaikovsky.
Gosto muito de ler este teu tipo de escrita,quando te transcendes e deixas gravada no monitor parte daquilo que tu és e sentes.De todo o texto houve uma frase que me caiu mais no goto(''Sinto as entranhas galgar... De emoção.'').Frase muito forte,cheia de sentimento. Gostei muito!!
Depois de ter lido este post, quase consigo ver-te aninhada entre lençóis,olhos fechados,de sentidos despertos, mas adormecidos a interferências exteriores.Só existes tu e a música.Até o próprio mp3 cai no esquecimento,pois a dada altura a música já parece tocar directamente dentro de ti.
Promete-me que não vais corar quando leres o quanto apreciei este teu post.Prometes? :-)
Adorei-o!!Adorei por estar muito bem escrito,mas isso já é um hábito teu, e adorei-o mais ainda pela forma apaixonada como o escreveste. Venham mais posts destes também(e ainda não me esqueci que me estás a dever um poema aqui postado).
Jinhos e coiso i tal!! :-))

Ass:EU maiúsculo

DeepGirl a dit…

Sabes, Anónimo, até eu própria me admiro do que escrevo... Parece que ganho "uma energia desconhecida" na mente, que quer descompensar efusivamente nas teclas.
Não me esqueci do poema... Apenas me faltam as essências que este exige, mas que nem sempre encontro para o fazer.

Jinhos!

Daniel Silva a dit…

Há músicas que nos pegam na mão e ditam a alma... e depois olhamos para o papel, o pc... whatever e dizemos: eu escrevi isto?