vendredi 15 janvier 2010

(Not) Piada

Acho piada aos Enfermeiros que, ao serem informados da greve de 27, 28 e 29 quando lhe passam a circular, riem-se, mandam a folha para o seguinte sem lerem, e ainda acrescentam: "Bah, siga a passagem de turno que tenho mais que fazer!".
Solidariedade... NOTA-SE!

4 commentaires:

Melga a dit…

Bem observado, fazem isso e depois da greve dizem "não somos unidos" "os profs é que mostraram como é".
Pois mostraram e diga-se que um dos problemas é que há muitos interesses na enfermagem...até no duplo emprego...pois, lutar para quê se alguns já ganham dois vencimentos no local de trabalho(bO e cirurgias adicionais)...pobre Enfermagem!

Anonyme a dit…

Solidariedade precisa-se! E melhores salários... E melhores horários... E menos impostos...E mais e melhores empregos...
Nem sou enfermeiro, nem tenho os direitos nem deveres inerentes à muy nobre classe profissional, mas, desde que não se prejudique o doente , na tentativa de lutar pelas merecidas e dignas condiçoes de trabalho, apoio qualquer forma de protesto.
Quanto à falta de solidariedade... Não é ''doença'' que afecte só a vossa classe profissional, mas muitas outras, por isso nem estranho.
Jinhos e coiso i tal!! :-))


ass: (not) anonimous

siceramente a dit…

são tempos de crise.. todos os trocos são precisos!

CF a dit…

Olá Elisabete
às vezes lá vou espreitando o teu blog. Este post chamou-me a atenção porque diz respeito à Enfermagem. Realmente a nossa classe tem muito que aprender...principalmente a ser unida! A juntar-se nas lutas, mas alguns continuam a persistir na luta individual. Desde que tenham trabalho e que ganhem os seus tostões, resultado de trabalharem em vários locais... Não se importam com os resultados para a sua saúde, nem com a qualidade dos cuidados que prestam, nem com o facto de retirarem trabalho a outros colegas. Cada um por si!
No entanto, devemo-nos regozijar porque nem todos agem dessa forma. Há aqueles que estão a trabalhar e não assinam a folha de presenças para contar para a greve... Sim, são das poucas profissões que devem garantir os serviços minimos à população (e às vezes os que não são minimos) e que mesmo em greve estão a trabalhar. Estes merecem que se fale...
É caso para dizer: "Bah, não percamos tempo com os outros exemplos, temos mais que fazer..."
bjs e bom estágio.
Célia Pires