mercredi 22 avril 2009

Desejo...

Ilumina o sonho

Grita de entusiasmo

Sorri sem sarcasmo

O Mundo é risonho


Vive intensamente

Não uses a mente

Não esperes o que não tens

Nem mantenhas os desejos reféns


O que esperas virá

O que tens desaparecerá

Porque algo melhor crescerá

E o coração assim terá


O Mundo será meu

O que é meu será teu

Junção miscível

Paixão terrível


Assim é a espera

Até quando tão efémera?

5 commentaires:

Anonyme a dit…

gostei muito!!
a tua inspiração anda em maré alta e mais uma vez escreveste algo pleno de sentimento.
espero que não leves a mal,mas vou-me permitir responder à tua pergunta no final do poema.
a espera será até ser chegado o timing certo e até aparecer a pessoa certa que te complete.
pode ser uma espera de dias, meses ou anos, mas quando chegar aquele momento e aquela pessoa,tão esperados, vai valer a pena cada minuto de espera.
muitas vezes, o melhor da vida chega-nos de onde e quando menos se espera!!
até lá, vai sendo tu mesma,distribuindo sorrisos e alegria a todos aqueles que um dia tiveram e terão o privilégio de se cruzar contigo.
Jinhos e coiso i tal!! :-))

ass: time out

messy a dit…

(:

gostei*

Miguel a dit…

Não é na espera que se alcança
O pesado leve sabor de uma dança…
A vender os sonhos esta no saber
Nos olhos fechados vais conhecer…
E é em tudo que existe a paixão
Desde o simples grão de areia
Passando por um livro de razão
Até á alma que te anseia…
Não se resolve na procura
O que se acha nunca dura…
A solução está no saber-se sentir
Caminho percorrido de um bom fluir
E se aparecer uma pedra polida
A tua devoção pode ser bem merecida
Da tua luz saber-se uma constante
Transformar pedra em diamante…

Sant'Iago a dit…

a espera torna-se efemera... na distância que a vista não alcança.
mas que o ser sente..
no coração dormente
na alma que sorri
dirigida a ti;)

Daniel Silva (Lobinho) a dit…

Um misto de "agora", de optimismo e do que se não alcança, mas alcança. Basta deixar ser. baste ser o sentir.

Muito bom.

beijinhos