mercredi 25 mars 2009

Confirmam a minha teoria?


Hoje, em conversa com um estudante PALOP de cá da Universidade que mora no piso inferior, fiquei algo intrigada com o que concluí da nossa conversa.


Na minha passagem pelo piso inferior, encontro por vezes o tal rapaz, e acabo por ter conversas com ele extremamente compensadoras, dado que ele possui um pensamento "livre" (palavra usada por ele), e como eu também sou uma desbocada, acabámos por falar sobre coisas bastante tabu na nossa sociedade aportuguesada.

A conversa começou porque, quando cheguei, ele me perguntou se estava tudo bem. Esbocei um sorriso e disse que sim (ando sempre de bem com a vida, como diz a outra), e começou a saga que vem sendo habitual "Lindo sorriso... Bonita.". COREI! Ele achou piada. Eu digo-lhe que não lido bem com elogios. Ele ainda se ri mais. "Opá... Não te rias!".

A certa altura, no desenrolar da conversa, ele começa-me a contar como tentou engatar uma na Galeria de Aveiro... "Comecei a aproximar-me dela e a sorrir... Ela fugiu!".

Gargalhada geral.

Pergunta-me ele: "Diz-me, como se conquista uma mulher portuguesa?".

Então aí, eu respondi-lhe, em tom de brincadeira: "Tens ter um bom carro e ser rico." (claro que estava a dar gozo, porque só quero mesmo é que o "dito futuro" tenha paciência para me aturar e me compreender... SÓ).

Ele ficou a observar-me, e eu fiquei pensativa após esta afirmação. Nunca tinha pensado no assunto, de facto. E ele apercebeu-se. A verdade, é que nos assédios de que já fui "vítima", a primeira associação que fazia (e com esta mania, continuo a fazer), é de que eles só querem uma coisa. Ele fez-me pensar, que minímamente, quando um rapaz planeia a sua técnica, tem de estabelecer mentalmente uma estratégia, e no fim de tudo, nem sempre um engate é tão fútil como eu julgava, dado que necessita de uma certa maturação de pensamento relacional. Mais uma percepção pessoal de que afinal, nem tudo é como eu penso. Transmiti-lhe este pensamento. Ele olhou para mim e acenou com a cabeça em sinal de consenso com o que eu pensava.
"Obrigada por este tempinho", diz-me ele.
"Eu é que agradeço!", respondi.
Subi as escadas, e vinha a pensar... "Bolas, acho que sou demasiado extremista nas opiniões que formulo".


Bem, e agora para "meter nojinho", vou acabar o Post dizendo que claro que há aqueles que após adquirirem uma determinada técnica, passam a utilizar SEMPRE a mesma, e já só pensam em usar tudo, menos a cabeça com os ditos MIOLOS :p

4 commentaires:

San'Iago a dit…

Só podia lololol
de rir a última frase/sentença:)
mas realmente dá que pensar! O pessoal em vez de "individualizar a coisa", tal como nos nossos procedimentos, na clínica, usa o mesmo "protocolo" para tudo.
e depois admiram-se de os resultados serem os mesmos lol
A cabecinha é para se usar, não é só feitio.
Muito Deep, tal como já é apanágio.
great
KissKiss

Teu Patinho a dit…

sou tao desmiolado ;))

Anonyme a dit…

de cada vez que tento fazer uma abordagem a um membro do sexo oposto, vá-se lá saber porquê, ou estão a esperar alguém,ou estão de saída,ou não falam português,ou preferem abordagens de alguém do mesmo sexo,..
não fosse eu um tipo rico como o Bill Gates, giro como o Shreck, divertido como o Mr.Bean,casto como o Papa e mentiroso como o Socrates, e ainda pensava que era por algum defeito meu que elas nem me dão chances de treinar as técnicas à D.Juan.
Jinhos e coiso i tal!! :-))

ass:Casanova reles

Anonyme a dit…

Caríssima Deep,
Em outras circunstâncias, em outro lugar teria dito que és uma fora de série, imaginativa. Claro está, não fosse este post público, iria rir contigo, ao teu lado. Mas é público, logo cuidado, é assim que surge o preconceito e a rotulagem (hehheh que medo).
Bem, sou um cota romântico e dizeres que “já só pensam em usar tudo, menos a cabeça com os ditos MIOLOS” é uma falácia, de facto quando se gosta, quando se ama, quando se quer, usamos tudo menos a cabeça, tudo menos a razão. Amamos, queremos, gostamos, lutamos, ficamos cegos, ficamos surdos, e por vezes mudos, para tudo e para todos. Não damos ouvidos a nada e a ninguém, o coração suplanta a razão, torna-se irracional a própria racionalidade, não é pensar com uma cabeça sem miolos, é ignorar os miolos e pensar com a alma! É certo ou errado? Tu dir-me-ás no momento certo, quando o “ridículo” do cupido te atingir, quando o preto se tornar barco, o cinza se tornar rosa, e nada nem ninguém terá razão, apenas tu! Apenas tu saberás o que é certo, o que queres, o que desejas, batalharás sem parar e sem cansar, para teres o que desejas, quem desejas, ao teu lado!
Podes dizer que nem todos pensam assim, ou que nem sequer pensam, mas talvez no fundo o façam, apenas tem receio de o admitir… porque admiti-lo torna-os (nos) frágeis…
Borboletas no estômago, caminhar nas nuvens, andar na lua, subir aos céus…. Parece tudo romântico-piroso! Mas quem o vive ou viveu bem sabe o quanto sabe bem!
Cabeças e miolos para que?
lololololol

ass.
Alguém... Cheiodesono!